Desde o estabelecimento da humanidade sobre a superfície terrestre, o corpo social sempre procurou identificar, de alguma forma, os locais e feições geográficas mais significativos para, além de marcar sua presença, servir como referencial de localização no território.


Este marco de referência e de identidade com o território é denominado de nome geográfico que é entendido como o topônimo padronizado, incluindo, na maioria das ocorrências, um nome específico e uma designação genérica, acrescido de atributos que o caracterizam como um conjunto etnográfico, etimológico, histórico, referenciado geograficamente e inserido num contexto temporal.


O estudo dos nomes geográficos com seus atributos contribui para a qualidade das informações cartográficas e para o reconhecimento dos mesmos como patrimônio de valor inestimável para a Nação, pois através deles pode-se identificar padrões de ocupação, identidade e diversidade linguística. Além disso, a ausência de padronização dos nomes geográficos gera, entre outras consequências, carência de subsídios para documentação e litígios em questões fundiárias e territoriais.


O IBGE oferece à sociedade brasileira o Banco de Nomes Geográficos do Brasil (BNGB) para ser usado nos esforços de padronização, tanto no âmbito interno do Sistema Cartográfico Nacional quanto no âmbito externo, estabelecendo parcerias que fortalecerão a Rede Nacional de Toponímia, que se apoiará na expertise dos seus componentes em ciências de mapeamento, produção de dados e informações geoespaciais, linguística, filologia e pesquisa em Geociências.


Os nomes geográficos que atualmente estão no BNGB são oriundos dos seguintes produtos cartográficos:

IBGE - Diretoria de Geociências - Coordenação de Cartografia - ibge@ibge.gov.br - 0800 721 8181